Frase do dia, por Vik Muniz

“A grande crise de relevância que a arte contemporânea atravessa hoje não é por falta de público, cultura ou interesse; é pelo preconceito conservador e paranóico de pessoas que vêem a cultura como um privilégio, e não como um direito”.

Entrevista completa com o artista visual Vik Muniz no G1

Artes Visuais: exposição tem arte feita por robôs

As máquinas estão cada vez mais independentes, expressiva e interativas. É o que mostra os trabalhos expostos no Itaú em São Paulo. A exposição Emoção Artificial 5.0 começa hoje e faz parte da V Bienal de Arte e Tecnologia.

'Bion' de Adam Brown e Andre H.Fagg traz 'seres vivos' robóticos, que se manifestam com a presença humana. Foto: divulgação.

Robô do alemão 'autoportrait' faz retrato do espectador (e o apaga logo depois de terminado). Foto: divulgação.

De 1 de julho a 5 de setembro
Itaú Cultural – Av. Paulista, 149, próximo à Estação Brigadeiro do Metrô
De terça a sexta-feira, das 9h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 11 às 20h
Entrada franca

Veja mais no G1

Atenção imprensa: PAC para cidades históricas é piada?

Em agosto de 2009 foi mencionado aqui o PAC das Cidades Históricas. Pois só agora, quase um ano depois, a verba será liberada, mas o investimento é baixo: pouco mais de R$ 1 milhão — para ser dividido por 30 cidades.
Só para se ter uma ideia do absurdo que é: a previsão de gastos na reforma do Maracanã para a Copa do Mundo de 2014 era de R$ 430 milhões (saltou para R$ 500 milhões).

No texto divulgado pela assessoria de imprensa: “O programa tem por objetivo a revitalização urbana, a melhoria da qualidade de vida e o fortalecimento da gestão dos municípios atendidos. Os acordos a serem assinados prevêem recursos totais da ordem de R$ 1,129 milhão, das esferas federal, estaduais e municipais, os quais serão aplicados em ações que vão ser implementadas nos próximos quatro anos (2010-2013).”

As cerimônias de assinatura do acordo de adesão foram em Belo Horizonte (MG) e a outra em Belém (PA). Nesta quinta-feira (01), a assinatura será com a prefeitura da cidade de São Luís, no Maranhão.

Presos superam desafios com artesanato

A empresa gaúcha Reciclage, sob a liderança de Ricardo Rocha e Maíra Fontoura, tem como modelo de negócio a fabricação e comercialização de produtos feitos em áreas de exclusão social e baixa atividade econômica.

A partir deste conceito, criaram o projeto “Reciclando Vidas”, para a inclusão social de presos através da produção artesanal de sacolas e brindes corporativos.

O projeto vem se consolidando no Instituto Penal de Viamão com 700 detentos em regimes abertos e semi-abertos. As oficinas permanentes são ministradas pela Maíra Fontoura do blog Reciclagem Arte.

Brinde corporativo feito com lata reciclada

Sacolas feitas com jornais e revistas

Empresas Interessados em adquirir os produtos, oferecer matéria-prima ou ser parceiros podem obter mais informações pelo site http://www.reciclage.org ou pelos telefones 9666-2863 e 8440-3333.

Exposição de bonecas de barro no RJ

O Vale do Jequitinhonha, no nordeste de Minas Gerais, é uma região importante no cenário da produção artesanal do país. Ali, o artesanato representa mais do que uma alternativa de subsistência. Da retirada da matéria-prima até a sua transformação em objeto, as artesãs lançam mão de um saber transmitido oralmente por suas avós, mães, tias e sogras. Memória coletiva essa que evoca relações simbólicas, que sustentam a história e tradição local.

No Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular acontece a exposição “Nos campos do Vale: cerâmica no Alto Jequitinhonha” e inclui também a venda das cerâmicas produzidas por artesãs das comunidades de Campo Alegre, Campo Buriti e Coqueiro Campo, situadas nos municípios de Minas Novas e Turmalina, integrantes do Alto Jequitinhonha, no nordeste de Minas Gerais vai até o dia 17 de julho.

CNFCP – Sala do Artista Popular
Rua do Catete, 179 (metrô Catete), Rio de Janeiro, RJ
Exposição e venda: terça a sexta-feira, das 11 às 18h ; sábados, domingos e feriados, das 15 às 18h

Participe do sorteio do vale-compras

O dia do sorteio de R$55 em compras na Babel das Artes (frete grátis) está chegando. Ainda dá tempo de você concorrer porque vamos sortear o vale-compras no dia 30 de junho.
Com o vale-compras você pode adquirir carteira de palha de buriti, bijuterias, bolsas de fuxico e de chita, toy art ou rasteirinhas de algodão. Também pode adquirir outros produtos e complementar o valor.
Clique aqui e preencha o cupom.

São João, primo de Jesus: este já nasceu santo

São João: medalha sobre ônix, da Babel das Artes

24 de junho: São João Batista
Sincretismo: Xangô

Em seu calendário anual, a igreja celebra apenas dois nascimentos: o de Jesus e o de São João Batista. A festa acontece principalmente no Nordeste brasileiro e em alguns países da Europa, com destaque para Portugal.

São João Batista foi considerado santo antes mesmo de nascer. Era filho do sacerdote Zacarias e Isabel (ou Elizabete), prima de Maria. Ou seja, ele era primo de Jesus. João era pregador, tinha discípulos e incitava a mudança, por isso, foi considerado profeta e precursor do prometido Messias, Jesus Cristo.

É chamado de Batista por batizar os judeus no rio Jordão (incluindo Jesus). Ele introduziu o batismo nos rituais de conversão judaicos, que mais tarde foram adoptados pelo cristianismo.

Em 26 d.C São João foi preso, acusado de liderar uma revolução. Foi morto no mesmo período.

Simpatia – para atrair sorte, felicidade e dinheiro. Como a fogueira é acesa em homenagem a São João, ande com um pedaço de carvão da fogueira no bolso o ano inteiro. É só embrulhar num filme plástico pra não sujar a roupa, certo?

Arrasta-pé com rasteira ecochic de algodão

As rasteiras da coleção de Romero Sousa, da Z-AZ são lindas e superconfortáveis.

As tiras são de algodão colorido da Paraíba certificado pelo Embrapa (já nasce com a cor, sem aditivos ou corantes). A palmilha é de tecido 100% algodão e a impressão em serigrafia com detalhe de xilogravura de cordel é feita com tinta à base de água. O solado de PVC reciclado. Numeração do 34 ao 39.

Veja outros modelos na loja virtual Babel das Artes.

*Ecologicamente e socialmente justo: A marca Z-AZ faz parte do grupo Natural Cotton Color. A cooperativa de moda que baseia toda a sua produção no algodão da Paraíba — especial e único porque já nasce colorido, sem uso de corantes ou aditivos (certificado pelo Embrapa). O plantio e a colheita são organizadas por cooperativas no sertão da Paraíba e ajudam a manter os pequenos agricultores no campo. As rendas produzidas com linha branca, são tingidas com corantes naturais obtidos da casca de caju e de cebola e fazem composição harmoniosa com o algodão de tom rubi. A produção envolve 400 rendeiras organizadas em cinco associações no Cariri Paraibano.

Ecodesign: máscara remove a poluição do ar e ainda gera energia

Martina Pagura e Pedro Nakazato Andrade criaram o acessório diante do tema "respostas interativas para as alterações climáticas"

Máscara filtra o ar, devolve oxigênio e a poluição gera energia para alimentar celulares, por exemplo.

Os designers brasileiros Martina Pagura e Pedro Nakazato Andrade criaram em um workshop respostas interativas para as alterações climáticas. A máscara W / Ar filtra o oxigênio removendo o dióxido de carbono que é armazenado em um dispositivo de bateria que depois se converte em eletricidade para alimentar celular ou leitor de música portátil.

A ideia é genial, mas a gente torce para que soluções contra a poluição sejam tomadas antes que a gente precise usar máscaras para respirar, né? Veja mais detalhes no Ecouterre.

Piquenique sustentável: sem isopor, plástico ou alumínio

Imagine aproveitar a hora do almoço para, no lugar de enfrentar as filas do self-service, fazer um piquenique com os colegas do escritório?

Em 2004 a designer Tine de Ruysser desenvolveu com dobraduras o conceito de embalagens com papéis sulfite e até outros de rascunho. Na verdade é apenas uma instalação – um piquenique conceito –, mas a ideia é inspiradora: papel no lugar de isopor, plástico ou alumínio.

Para beber? Que tal cada um levar, além da bebida, a própria xícara?