Arquivo da tag: campanha

22 de setembro é o Dia Mundial Sem Carro: sejamos razoáveis, façamos o impossível!

Picture 15Todo mundo vive reclamando do trânsito e temos aí um agravante: nem todo mundo (ainda) tem um carro… mas já que a imensa maioria dos carros leva apenas uma pessoa, imagine se cada um de nós resolvessemos, hoje, comprar um veículo também. Pois é, nós dois da Babel das Artes ainda não temos…

O que está em discussão no Dia Mundial Sem Carro é que o automóvel é um meio de transporte não universalizável, já que seria impensável a existência de um carro por habitante no mundo.

Segundo um dados levantados pelo blog Entrementes, que pesquisou a International Road Federation (IRF) o país mais motorizado do mundo é Luxemburgo: 647 carros para cada 1 mil habitantes. Já no Brasil há 30 milhões de automóveis, o que dá uma média de 160 por mil habitantes (Denatran de 2007), um número que parece razoável, visto assim, de longe. .

Na região metropolitana de São Paulo, a pesquisa Origem e Destino realizada pelo Governo do Estado em 2007, apurou que havia 184 carros particulares para cada mil habitantes. Ou seja, o mercado de automóveis ainda tem muito pra crescer! Reflita: em São Paulo existem ainda 816 pessoas a cada mil habitantes planejando comprar um carro novo nos próximos anos.

Então, é chegada a hora de repensar nossas alternativas de ir e vir. Até porque, como defende o site mountainbikebh, o mais grave é que as viagens de carro degradam a relação dos indivíduos com o espaço público, transformando a rua em um indesejável obstáculo a ser superado no deslocamento de um ponto a outro.

Veja alguns números estarrecedores:

Enquanto a população de João Pessoa passou de 330 mil habitantes para quase 675 mil entre 1981 e 2007; no mesmo período a frota de veículos da Capital aumentou 451,7%. Em toda a Paraíba, a frota de veículos cresceu 245,4%, entre 1990 e 2007. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), esse foi o quinto maior crescimento registrado do Nordeste e o 14º do País (imagine os que estão em primeiro!). Em cidades como João Pessoa, Campina Grande e Cajazeiras, segundo o Detran, existe um veículo para cada quatro habitantes!!!!

Em São Luís/MA a frota cresceu 559,25% entre 1º de janeiro de 1988 e 1º de agosto deste ano.

Em Curitiba, de 1999 a 2006, o número de veículos aumentou 44,7%. A frota passou de 684.212 para 990.542. Com cerca de 1,8 milhão de habitantes, a média chegou a um veículo para quase dois habitantes em 2006. Atualmente, a capital paranaense já ultrapassou a marca de 1 milhão de veículos.

OS 10 ESTADOS BRASILEIROS COM MAIOR FROTA DE VEÍCULOS

1º. São Paulo – 17.590.270 de veículos
2º. Minas Gerais – 5.719.113
3º. Paraná – 4.367.980
4º. Rio Grande do Sul – 4.132.590
5º. Rio de Janeiro – 3.825.356
6º. Santa Catarina – 2.851.084
7º. Góias – 1.935.265
8º. Bahia – 1.751.763
9º. Pernambuco – 1.368.794
10º. Ceará – 1.287.276

Fonte: Lista 10 / Detran dos estados que mais possuem veículos em circulação até o início do 2º semestre de 2008.

RJ concorre a “Melhor destino gay do mundo”

campanha-melhor-destino-gay-rj Recentemente a revista Forbes divulgou o novo título que o Rio de Janeiro ganhou. Agora, “A cidade mais feliz do mundo” está concorrendo ao prêmio de “Melhor destino gay do mundo”.

O concurso promovido pelo canal Logo, da MTV americana, leva em conta a beleza natural, culto ao corpo e o jeito amigável e simpático de ser da cidade.

A cidade maravilhosa foi uma das escolhidas por jornalistas e especialistas em turismo para esse público. Outras cinco cidades disputam o primeiro lugar com o Rio de Janeiro: Buenos Aires, Montreal, Sidney, Londres e Barcelona.

Participe da campanha. Acesse o site: www.tripoutgaytravel.com/awards

A dica é do Circolare Vírgula

Quem se importa com os desabrigados?

As chuvas que atingem grande parte do Brasil há mais de um mês já fizeram 45 mortos e deixaram cerca de 377 mil desabrigados em 13 Estados. O dado é do último balanço da Sedec (Secretaria Nacional de Defesa Civil), do Ministério da Integração Nacional.

O repórter-fotográfico da Folha Fernando Donasci relata em vídeo o drama da situação dos moradores de Bacabal (247 km de São Luís), que exemplifica outros locais atingidos. Um dos problemas mais graves (que também causou mortes) é a embriaguez de alguns barqueiros.  Além disso, em vários lugares os alimentos tardam a chegar porque as estradas estão interrompidas. Trajetos que antes levavam 1 hora, agora podem chegar a 7 horas.

O que você pode doar — Alimentos não perecíveis (água, arroz, feijão, açúcar, óleo, leite em pó, farinha de mandioca e macarrão), roupas, lençóis, fronhas e fraldas. Leve até o SESI mais próximo de você. Todo o material arrecadado será entregue à Defesa Civil para distribuição à população dos estados atingidos.

Abaixo, dados para colaborações em dinheiro.

Cruz Vermelha (para todos o atingidos do Nordeste)
Unibanco
Agência 0472
Conta 235.000-8

Defesa Civil do Piauí
Banco do Brasil
Agência 3791-5
Conta 2004-4

Ceará / Campanha Força Solidária
Caixa Econômica Federal
Agência 3281
Operação 003
Conta 300-1

Banco do Brasil
Agência 3515-7
Conta corrente 11024-8

Banco do Nordeste do Brasil
Agência 016
Conta corrente 29393-8

SOS Maranhão
Caixa Econômica Federal
Agência 0027
Conta corrente 1000-2
Operação 006

Banco do Brasil
Agência 2954-8
Conta corrente 2222-5.

Ajude a construir mais cisternas* no Semi Árido

cliquesemiaridoCada cisterna tem o custo de R$1.800,00. A campanha prevê que  cada clique no logo que está no site do Comitê Betinho gerará R$ 0,08 para construção de cisternas. O repasse dos recursos está garantido independente da quantidade de cliques.

Ajude com esta campanha: vá ao site comitebetinho.org.br e  encontre o logotipo igual ao que você vê aqui. Basta clicar nele e você já estará ajudando. O ideal é clicar uma vez por dia.

Seja solidário: Divulgue a iniciativa para seus familiares e colegas. Lembre-se que cada clique representa um tijolinho a mais em cada reservatório.

*Cisterna é um reservatório (tanque), abaixo do nível do solo, onde se conservam as águas de chuva. Normalmente, a água coletada é utilizada para consumo humano e uso doméstico. Seu funcionamento prevê a captação de água da chuva, aproveitando o telhado da casa, escoando através de calhas (bicas) até o reservatório ou tanque