Arquivo da tag: Carnaval

Samba enredo corporativo: o marketing na maior festa da cultura popular

Sambódromo RJ - samba enrede é mídia para marcas

Há muito tempo os desfiles agregaram o Samba Corporativo para abocanhar recursos e levantar grandes marcas na avenida. Quem não gosta de samba, bom marqueteiro não é!

Sabemos que os regulamentos da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) e da Liga das Escolas de Samba de São Paulo (LigaSP) proíbem qualquer merchandising explícito em alegorias, fantasias e até nas roupas dos pessoal de apoio e organização. Mas uma salpicada em um samba aqui e acolá já garante um bom recall.

Com o apoio da marca de computadores Positivo, este ano a carioca Portela fala de inclusão social por meio de inclusão digital — e com pitaco no enredo, claro. O refrão “faz da criança inspiração, pro futuro da nação” virou “faz da criança um cidadão, positivo pra nação”. A Rosas de Ouro não teve tanta sorte. Por imposição da Rede Globo teve que mudar o enredo o “Cacau é Show” (marca com 750 franquias) para “Cacau: Um grão precioso que virou chocolate sem dúvida se transformou no melhor presente!”. A palavra “chegou”, por sua vez, vai substituir o “show” no refrão da agremiação. Sutileza é a palavra-chave!

Era melhor ir na onda da Grande Rio que garantiu apoio e “discretamente” homenageou, em 2008, o “gás ecologicamente correto” da Refinaria de Urucu, na cidade de Coari, no Amazonas. Em 2005, a escola já tinha escancarado o apoio da Nestlé entrando na avenida com o enredo “Alimentar o corpo e alma faz bem” cantou frases como “Moça, o teu doce é saboroso” e “Lá em nosso ninho tem sabor especial”. A Rede Globo brecou e interditou os carros com as latas gigantes que iam passar na avenida.

Este ano, como a Grande Rio homenageia o próprio Sambódromo, há rumores de que a Brahma pegou carona e estimulou a escola a destacar a “criação” do conceito “camarote” na avenida para fazer apologia ao slogan Número 1. Ooooops…. mas o patrocinador oficial não é a outra marca, a Schin? É como diz o refrão: “não me leve a mal, hoje é Carnaval”.

Fonte: Meio e Mensagem Foto: Flickr/Selusava

Anúncios

Carnaval de Olinda reúne mais de 300 bonecos gigantes

Homem da Meia Noite - desde 1932 no Carnaval de Olinda/PE - Foto Ag. Brasil

Ao ritmo do frevo e do maracatu o Carnaval de Olinda tem foliões e blocos descendo as ladeiras da cidade histórica. Os bonecos gigantes feitos pelos artistas e artesãos da região são a grande atração da festa.

O mais famoso deles é o “Homem da Meia-Noite”, criado em 1931. Na Agência Brasil, encontramos duas histórias que explicam sua origem. A primeira conta que um dos criadores do boneco, Benedito Bernardino da Silva, se inspirou em um elegante senhor que circulava nas ruas de Olinda. Um dia, ao segui-lo, descobriu que se tratava de um conquistador que, à noite, pulava a janela das casas das donzelas.

Outra estória conta que o boneco foi criado por um grupo de dissidentes do Cariri – bloco tradicional que, na época, abria, às 5 da manhã, o carnaval de Olinda. Diz a lenda que esse grupo, ao assistir a um filme de ficção chamado O Ladrão da Meia-Noite, teve a idéia de criar um boneco que sairia pela cidade abrindo o carnaval antes do Cariri. Por isso, o “Homem da Meia-Noite” comanda o Carnaval a partir da 0h até às 4 da manhã, quando passa a chave da cidade para que o Cariri siga com a festa.

Com o tempo, o povo da cidade, de tradição católica, sentiu necessidade de arrumar uma mulher para o boneco. Foi aí que se criou a Mulher do Meio-Dia, que entra na festa às 12 e vai embora às 16 horas. Ela “nasceu” em 1967 pelas mãos do artesão Julião das Máscaras.

Na década de 1970, Silvio Botelho, o artista plástico que tornou os bonecos conhecidos, foi convidado a fazer o filho dos dois – o “Menino da Tarde”. Desde então, a cidade está cada vez mais povoada de bonecos com um Museu dedicado a eles.

Mulher do Dia nasceu em1967 para fazer companhia ao Homem da Meia-Noite. Foto: Passarinho/Prefeitura Olinda

Os bonecos mais antigos pesavam mais de 50 quilos. Atualmente são feitos de fibra de vidro, resina e massa acrílica, para ficarem mais leves. Os bonecos geralmente representam figuras históricas, políticas ou folclóricas e já são mais de 300. Em 2010 o Carnaval vai ganhar mais 42 novos personagens que estão sendo produzidos nos ateliês de Botelho  e de outros oito artesãos.

Carnaval de Olinda tem mais de 300 bonecos gigantes. Este ano vai ganhar mais 40. Foto: Ag. Brasil

Clique e veja programação completa do Carnaval de Olinda.

Mestre Vitalino inspira Carnaval carioca

mestre-vitalinoOntem, sábado, a escola de samba Império da Tijuca levou para a Marquês de Sapucaí a história de Vitalino Pereira dos Santos. Com o enredo O mundo de barro de Mestre Vitalino, o desfile homenageou os 100 anos do artesão, que será comemorado em julho deste ano.

Detalhes do desfile:
Comissão de frente
–  alusão à criação divina, já que segundo a Bíblia, o homem foi feito de barro e Vitalino perpetuou o homem sertanejo através do barro;
Primeiro setor – o carnavalesco relembrou a mãe do artista, que vendia panelas de barro e, para distrair o menino, dava restos de barro para o garoto modelar. Tudo o que Vitalino via de animais à volta, ele modelava. Depois de uma tempo, ela passou a vender mais as obras das crianças do que as panelas;
Quarto carro – “De Caruaru Para o Mundo” – Mostrou como o mundo descobriu Mestre Vitalino. Um artista plástico visitou a Feira de Caruaru, ficou encantado e o levou para o Rio de Janeiro, onde fez uma exposição no Museu de Arte Moderna. Ensinou Vitalino, que era analfabeto, a autografar as peças com a sigla VPS, de Vitalino Pereira dos Santos. A partir daí, ele chegou a expor suas obras no Louvre, em Paris;

Para ouvir o Samba Enredo clique aqui.

Para ver o organograma completo do desfile clique aqui.