Arquivo da tag: de decoração

Esculturas de barro na bagagem

anapaula-liviaAna Paula e Lívia Helena são de Ilhéus/BA, mas moram em Minas Gerais. Vieram de carro até Campina Grande, aonde Ana prestou concurso para a Universidade Federal de Campina Grande/PB. Depois do exame, uma parada em João Pessoa pra passear e garimpar arte popular.

Na Babel das Artes se apaixonaram pelas esculturas de barro da artista paraibana Te Cavalcanti. Levaram duas lindas peças pra casa. Com as novas passageiras a bordo, atenção redobrada no caminho de volta.

Anúncios

Paixão por João Pessoa e pelo artesanato

Junior-MarciaPara Junior e Márcia, João Pessoa é velha conhecida. Esse casal de Itatiba/SP adora a cidade e vem com frequência curtir férias aqui.

Eles também gostam muito de artesanato, especialmente a cerâmica com motivos rupestres produzida por uma cooperativa do Rio Grande do Norte. O difícil foi escolher o que levar. No fim, sua casa ganhou um prato para parede e um arranjo de cabaça e cipó. Vai ficar lindo.

Sossego de João Pessoa atrai pernambucanos

danylo-debora Danylo e Débora são de Pernambuco. Ele de Olinda, ela de Recife. Sempre que podem, dão um jeitinho de passear em JP atrás de sossego e praias tranquilas. Desta vez, também aproveitaram pra garimpar peças de decoração pra casa. Na Babel das Artes, garimparam um conjunto de vasos esféricos de cerâmica preta, dos artistas paraibanos Nevinha e Totta, de Itabaiana/PE. Lindo trabalho por um preço especialíssimo. Saíram felizes da vida com o achado e já sabiam até o lugar na aonde iriam colocar as peças. Este passeio rendeu!

Artesanal, útil e belo

Ana Paula e o marido mal chegaram e já foram passear. Na Babel das Artes e resolveram um probleminha. Aquele porta-chaves que estava faltando em casa, agora não falta mais. Levaram dois — todos feitos pelo artista plástico pernambucano Arnaldo Lopes — em madeira MDF e cerâmica com serigrafia. Úteis e lindos.

O casal, que  já esteve antes em João Pessoa, prometeu voltar mais vezes. Venham sim!

Chita de porcelana

O programa Jovem Artesão teve início em 2004 no Museu do Homem do Nordeste, em Recife. A partir de 2005, passou a fazer parte das atividades permanentes da instituição. O objetivo é ampliar o acesso à produção cultural para toda uma geração de jovens do Nordeste do Brasil. Atende 50 jovens entre 16 e 21 anos, que desenvolvem habilidades em oficinas de desenho, pintura, papel reciclado, aulas de passeio e de patrimônio e identidade cultural. Já são três núcleos. A proposta do Programa é abrir um núcleo por ano.

Caneca de porcelana branca, assinada, pintada à mão, do Programa Jovem artesão-PE

R$ 38 – peça única