Arquivo da tag: documentário

Documentário sobre último retratista lambe-lambe vivo de Pernambuco

Com direção de Luiz Santos, o filme-documentário “Cinema de dois tões” aborda a atuação de Antônio Monteiro Góis, o Tonho Ceará, último retratista lambe-lambe vivo de Pernambuco. A exibição faz parte da programação do Assacine da ABD-PB, realizado na Usina Cultural Energisa, dia 28, às 20h. O protagonista do filme estará presente no evento.
A realização do Assacine é da Agência Ensaio em parceria com a ABD-PB e a UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (COEX).

Usina Cultural Energisa – Rua Juarez Távora 243 | Torre | João Pessoa-PB

Documentário “Lixo Extraordinário” com Vik Muniz é prêmiado em Berlim

Vik Muniz - foto BR Press

O documentário “Lixo extraordinário” (“Waste land”) acaba de ganhar dois prêmios no Festival de Cinema de Berlim (a Berlinale): um de audiência e outro da organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional (AI).

Com direção conjunta dos cineastas João Jardim e Karen Harley e da documentarista inglesa Lucy Walker, e produção executiva de Fernando Meirelles, “Lixo Extraordinário” foi filmado entre os anos de 2007 e 2009 e mostra trajetória do lixo dispensado no maior aterro sanitário da América Latina, em Duque de Caxias (RJ), até ser transformado em arte pelas mãos do artista plástico Vik Muniz e seguir para exposições internacionais.

Vik Muniz fotografou as pessoas que ganham a vida catando materiais recicláveis e com a ajuda delas criou versões gigantescas de pinturas famosas, como “JL David A Morte de Marat”, JF Millet “O Semeador”, P. Picasso ‘s “Mulheres engomar” ou Atlas Il Guercino’s “.
As fotos resultaram na série “Imagens do Lixo” (2008) e a maior parte da dinheiro arrecadação com o leilão das obras foi revertido para a cooperativa de catadores do Jardim Gramacho, onde fica o aterro.

Marat (Sebastião) foi leiloada por mais de R$ 77 mil

Outros post sobre Vic Muniz aqui e aqui

Documentário e exposição sobre os Anos de Chumbo em Recife/PE

O Centro Cultural Correios exibe, a partir de 19 de dezembro, o curta digital e a exposição “Seja Realista, Peça o Impossível”, de Ana Patrícia Vaz Manso, que acumula os créditos de roteirista, diretora e curadora.

O Curta e a Exposição foram produzidos com a temática dos anos de chumbo da Ditadura Militar no Brasil, relembrando a Utopia, as lutas e a busca da Democracia e do direito à Liberdade de Expressão e da Garantia dos Direitos fundamentais.

O trabaho foi pensado e desenvolvido a partir de uma pesquisa em diversos jornais, revistas, livros, filmes, assim como através da coleta de informações com Cientistas Políticos como Túlio Velho Barreto e com artistas e pessoas que vivenciaram este período como o Artista Plástico Abelardo da Hora, o Jornalista Marcelo Mário Melo e o Médico e Vereador Luciano Siqueira.

A abertura acontece no sábado (19/12), às 19h, no Centro Cultural Correios, Av Marquês de Olinda, 262, Recife Antigo.

Pichadores brasileiros são destaque na França

Djan Ivson, 25, conhecido como Cripta, foi convidado a pichar a Fundação Cartier, como parte da mostra “Nascido nas Ruas – Grafite”. Ele começou a fazer pichação os 12 anos e parou em 2004, quando passou a apenas registrar a ação de seus colegas em vídeo. São dele quase metade das imagens do documentário “Pixo”, dos irmãos Roberto T. Oliveira e João Wainer, que também será exibido na retrospectiva mundial sobre grafite. A pichação paulistana será a novidade da exposição. A mostra é, na verdade, registro histórico do movimento, com homenagens a Basquiat e Haring.

Bookmark and Share

“Garapa” estimula debate sobre a fome e o direito à alimentação

garapaO jornal Folha de São Paulo promoveu na última segunda-feira (18) a pré-estreia do filme “Garapa”, de José Padilha, seguida de debate sobre a fome, que é o tema do documentário. O debate reuniu em São Paulo o diretor, o jornalista Gilberto Dimenstein e o ex-presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), Chico Menezes, diretor do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase).

Nesta terça-feira (19), o jornal O Globo também promove uma sessão seguida de debate. Quinta-feira (21) o documentário será exibido em Fortaleza, Ceará. No dia 26 (terça-feira), haverá a pré-estreia em Brasília, em sessão para 300 convidados. Na quinta (28), será a vez de Salvador.

O filme está promovendo a campanha nacional pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição, que inclui em direitos sociais o Direito Humano à Alimentação que ainda não existe na Constituição .

Garapa é a mistura de água com açúcar que as mães dão para as crianças para acalmar a fome. Saiba mais sobre o documentário “Garapa”.

Fonte: Assessoria de Comunicação Consea

Estréia de documentário sobre Dorothy Stang

Hoje, 17 de abril, estréia nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belém, o documentário “Mataram Irmã Dorothy”. O título trata do brutal assassinato da freira americana Dorothy Stang, 73 anos, morta com seis tiros, em 2005, em Anapu, no interior do Pará.

Narrado pelo ator Wagner Moura, o filme revela bastidores do controvertido julgamento dos assassinatos da missionária americana, que teve novos desdobramentos na última terça-feira, quando a justiça anulou o caso e pediu a prisão de Vitalmiro Bastos, o Bida, apontado como suposto mandante do crime.

O longa-metragem, de 94 minutos, também investiga as razões da morte da freira, bem como sobre os verdadeiros mandantes do crime. Ano passado, “Mataram Irmã Dorothy” venceu o Prêmio do Público e Grande Prêmio do Júri no Festival South by Southwest; recebeu menção honrosa do júri no FIC Brasília; e participou das seleções oficiais do Festival do Rio e Mostra Internacional de São Paulo.

O documentário é dirigido pelo americano Daniel Junge.

fonte: CIMI – Conselho Indigenista Missionário

Estréia mundial de documentário sobre a fome

garapa“Garapa”, de José Padilha, estreou ontem na seção Panorama da Berlinale, em Berlim, na Alemanha. Para produzir o filme, o diretor conviveu durante um mês e meio com três famílias pobres do Nordeste.
Para quem não sabe, “Garapa” é o nome da água açucarada que as mães dão aos filhos quando não há outra coisa para acalmar a fome. Para Padilha, apesar de ter sido feito no Ceará, o filme não é local. Afinal, o problema da fome e da miséria não é apenas nordestino nem brasileiro, é mundial. No entanto, é bom escancarar como estamos por aqui.

A pobreza, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), é a situação das pessoas que vivem com metade do salário-mínimo. Indigente é aquele que vive com um quarto do salário-mínimo. Um estudo de 2008 do Ipea indica que há atualmente no Brasil 11 milhões de pobres (eram 15 milhões em 2003) e 3 milhões de indigentes (eram 6 milhõs em 2003).

No ano passado, Padilha venceu o festival de Berlim com o violento “Tropa de Elite” e agora concorre com a fome e a miséria em “Garapa”. São nossas mazelas rendendo prêmios. É isso aí: a gente não quer só comida.

Livro de fotografia expõe cotidiano de Heliópolis

heliopolisO livro Favela em Foco busca, por meio de suas 140 páginas, mostrar imagens do cotidiano da comunidade de Heliópolis, a maior favela de São Paulo. Para dar cor e beleza ao dia-a-dia, o livro conta com um trabalho autoral da fotógrafa paulistana Renata Castello Branco e projeto gráfico do designer Sylvain Barré.

Depois de oito meses em contato com a comunidade, Renata retirou mais do que fotografias de sua passagem. “Heliópolis é uma lição de vida onde fica claro que a felicidade está dentro de cada um”, explica, ao perceber que algumas pessoas do local que vivem sob condições precárias ainda assim conseguem sorrir e ser felizes.

O livro, que inspirou um documentário produzido por Fernando Fonseca, da Fundação Padre Anchieta, tem uma tiragem de 3 mil exemplares e será distribuído em São Paulo para as Escolas Municipais de Educação Infantil e de Ensino Fundamental.

Fonte: BR Press