Arquivo da tag: escultura

Bento de Sumé é revelação em escultura em madeira

O artesanato da Paraíba se caracteriza pela variedade de materiais e técnicas utilizadas por talentosos artistas de diferentes partes do estado. No entanto, a cerâmica ganhou tanto destaque que acabou por ofuscar outras tipologias.

É o caso das esculturas de madeira de Bento, da cidade de Sumé. Sucesso de público, o trabalho de Bento de Sumé só recentemente foi incorporado ao acervo do museu de arte popular do Estado, sendo considerado a grande revelação na escultura em madeira da Paraíba.

Apesar da fama de santeiro, Bento de Sumé revelou que gosta mesmo é de fazer bichos. Alguns santos e aves que trouxemos para a loja logo foram vendidas: uma siriema enorme e um pequeno pavão — nem deu tempo de fotografar.

No último Salão de Artesanato, em João Pessoa, garimpamos a Santa Luzia e o São Pedro, que vieram se juntar a um Cristo Redentor que já estava na loja. Abaixo, algumas fotos das peças de Bento de Sumé.

São Pedro esculpido em madeira, por Bento de Sumé-PB

Detalhe São Pedro, por Bento de Sumé-PB

Perfil de Santa Luzia, escultura em madeira de Bento de Sumé-PB

Santa Luzia, escultura de Bento de Sumé-PB

Anúncios

Esculturas eternizam pés e mãos de bebês

A modelagem registra as dobrinhas

A modelagem registra as dobrinhas para sempre

Filha de escultor, Leticia Belmonte teve uma ideia brilhante: moldar partes do corpo de mulheres grávidas e de bebês.  As pequenas esculturas é uma evolução do trabalho que Letícia já faz como fotógrafa. Ela se especializou em registrar casais “grávidos” e mulheres de barrigão em seu estúdio-ateliê, em São Paulo.

A moldagem é rápida e divertida

A moldagem é rápida e divertida

A moldagem só leva três minutos. A pasta em que os bebês entram em contato para o molde é atóxica, antialérgica e hidratante. A primeira peça leva cerca de 20 dias para ficar pronta. É esta matriz que vai gerar a forma de silicone para que seja possível criar réplicas. Assim, além de esculturas de partes do corpo Letícia também faz sabonetinhos dos pés e mãos do bebê. É ou não é uma ótima forma de presentear parentes e amigos do rebento?

quadrinhos-pes-bebeClique aqui para saber mais sobre o trabalho de Letícia Belmonte.

Escultura de Oziel Coutinho ilustra folder da Paralela Gift

Recebemos aqui na Babel das Artes convites para visitar a 16ª Paralela Gift, evento que acontece simultaneamente à 15ª Craft Design, em São Paulo. E olha lá que agradável surpresa: ver o cachorro que chamamos carinhosamente de Baleia (em referência à obra Vidas Secas, de Graciliano Ramos) esculpido pelo artista popular paraibano Oziel Coutinho na divulgação do evento!

Clique para ampliar e veja o destaque com círculo vermelho.

Divulgação de Paralela Gift inclui obra de Oziel Coutinho.

Divulgação de Paralela Gift inclui obra de Oziel Coutinho, artista popular da Paraíba.

oziel-dias-coutinho-cachorro

O cachorro ilustra a palestra do jornalista Marcelo Lima, com o tema “Consumo de Design no Brasil e no mundo”, que faz parte do ciclo de debates do evento.

Aqui na Babel das Artes nós adoramos os móveis e as esculturas de bichos do Agreste do artista popular paraibano Oziel Dias Coutinho. Suas obras já passearam pela Galerie Lafayette, em Paris, já ocuparam páginas de revistas de decoração, como Casa Claudia, e estão em galerias de arte por todo o Brasil. Como somos pequenos e modestos, temos poucas obras de Oziel Coutinho. O melhor é que nossos preços são de lojinha, não de galeria, já que temoss custos menores.
Aproveite e solicite a sua escultura !

oziel-coutinho-cabra

Os bichos do artista popular Oziel Coutinho são feitos com tronco de mulungu. No acabamento, apenas pó de madeira, cola branca, tinta fosca e um leve desgaste com a lixa. As orelhas são de couro de bode.

Para comprar esculturas de Oziel Coutinho, escreva pra gente em babeldasartes@gmail.com

Fotos: Marcelo Pereto

Mestre Fida: referência em arte popular brasileira

mestre-fidaNa Alameda dos Mestres, na X Fenearte em Olinda/PE, além dos leões de Tracunhaém de Mestre Nuca, fomos fisgados pelas cabeças de madeira de Mestre Fida. Na hora vieram à mente os “Moais”, esculturas gigantes da Ilha de Páscoa. Perguntamos ao Sr. Valfrido de Oliveira Cezar, o Mestre Fida, se elas o tinham inspirado. Ele disse que não, que fez as cabeças “da própria cabeça”, mas confessa que ficou emocionado quando conheceu as esculturas de pedra. Ele as viu em uma revista que ganhou de Janete Costa para que  conferisse a “semelhança”. A arquiteta, falecida em 2008 — também foi homenageada na Fenearte por ser a maior divulgadora da arte popular brasileira.

Nós trouxemos algumas cabeças esculpidas em madeira por Mestre Fida para apreciação na Babel das Artes. Em futuro breve, iremos visitá-lo em Garanhuns/PE. Vamos buscar alguns exemplares do “Homem Catavento” sua principal obra. O artista popular conta que a inspiração para o ofício começou quando viu um catavento na casa de um amigo de seu pai. “Naquele momento comecei a me interessar pelo artesanato e até hoje faço esculturas em madeira. Desenvolvi meu dom trabalhando, há menos de 10 anos”, disse.

mestre-fida2

mestre-fida1

Para comprar as cabeças esculpidas por Mestre Fida e ter informações sobre o custo de frete, envie e-mail com seu CEP para babeldasartes@gmail.com. ESTOQUE 3 unidades.

Chegaram as novas peças de barro do Cariri

de-barro-lucineide-guilherminoImpossível resistir às bonecas de barro de Lucineide Guillhermino. Um olhar mais atento já percebe que a aparente simplicidade de suas peças de barro carregam tradição, cultura e detalhes minuciosos. A modelagem é feita a partir de vários tipos de argila encontradas em sua cidade, Serra Branca, no Cariri Paraibano. Por sua vez, o pontilhado da pintura é feito com barro branco, encontrado apenas em Pernambuco.

A artesã Lucineide Guilhermino foi premiada por duas vezes durante o Salão Nacional de Cerâmica,  realizado no Museu Andersen, em Curitiba. Na última edição (2008) recebeu menção honrosa com a peça Louceira do Cariri e garantiu o primeiro lugar na categoria Cerâmica Popular com a peça de barro A Rainha das Águas.

Confira em outro post, a versão da boneca como luminária de barro.

Oziel Coutinho botou o Agreste nas galerias de arte

boneca-de-madeira-oziel-coutinho

Escultura de gente — O artista popular paraibano Oziel Coutinho era conhecido por aqui por seus móveis rústicos. No entanto, ganhou notoriedade em 2005, com uma escultura de mulher (foto) que abriu a exposição A Chita na Moda em São Paulo e na Galerie Lafayette, em Paris. Hoje está catalogado no Museu ACasa e tem peças em várias galerias do país. O ano passado ganhou lugar de destaque na Fenearte, em Recife/PE.

Escultura de bicho — É possível que Oziel nunca tenha lido Graciliano Ramos, mas a simplicidade e o realismo do cachorro manso esculpido por ele (foto abaixo) fazem resgatar na memória uma cena relatada em Vidas Secas:

Fabiano deu estalos com os dedos. A cachorra Baleia,
aos saltos, veio lamber-lhe as mãos grossas e cabeludas.
Fabiano recebeu a carícia, enterneceu-se.
— Você é um bicho, Baleia.

Escultura de Oziel representa realidade do Agreste

O artista popular Oziel Coutinho representa em suas obras a realidade do Agreste. Escultura do cachorro a gente chama de "Baleia", em referência a Vidas Secas.

O animalzinho de Oziel Coutinho é feito de tronco de mulungu. No acabamento, apenas pó de madeira, cola branca, tinta fosca e um leve desgaste com a lixa. As orelhas são de couro.

Para saber o custo do frete envie e-mail para babeldasartes@gmail.com

Para Guariguazi, o cotidiano é de madeira e colorido

    De cabo de vassoura a palito de churrasco. Nas mãos de Guariguazi tudo vira gente.

Do cabo de vassoura ao palito de churrasco: nas mãos de Guariguazi tudo é "gente que estava aprisionada na madeira".

Sobras de madeira descartadas também são aproveitadas.

Sobras de madeira descartadas pela natureza também são aproveitadas. Nas suas peças, as pessoas sempre estão interagindo.

Guariguazi de Lima Tavares é muito querido por todos que o conhecem. Obcecado pelo trabalho, ele tem as mãos sempre calejadas e feridas pelo uso das facas para entalhar e esculpir as madeiras que encontra pelo caminho. Ele não pode ver um toquinho que fica ansioso “para libertar as pessoas que estão aprisionada ali dentro”, revela empolgado.

O talento e o universo de cores chamaram a atenção da curadoria da Fenneart (uma das maiores feiras de artesanato do país, realizada anualmente em Recife/PE). No ano passado, foi selecionado para disputar o prêmio de júri popular e teve lugar de honra no evento.

A Santa Ceia de madeira foi ícone do Salão de Artesanato da Paraíba

A Santa Ceia de Guariguazi

Aqui na Paraíba também tem reconhecimento.  Sua escultura “A Santa Ceia” foi o ícone na programação visual do Salão de Artesanato Paraibano, realizada anualmente em Campina Grande e João Pessoa. Ela estampou convites, banners e camisetas usadas por todos os artesãos da Paraíba.

A pedido da Babel das Artes, Guariguazi fez alguns jogadores de futebol. Veja o resultado abaixo. É interessante notar a reinterpretação de logotipo, inclusive de patrocinadores. Questionado sobre o por quê de não usar referência, retrucou: “isso vem mesmo é da minha cabeça”. Coisas de artista.

Até o futebol inspira o artesanato de madeira de Guariguazi

Até o futebol inspira o artesanato de madeira de Guariguazi

Para conhecer mais peças do artista popular Guariguazi (algumas delas são enormes), entre em contato por e-mail: babeldasartes@gmail.com