Arquivo da tag: festa junina

São João, primo de Jesus: este já nasceu santo

São João: medalha sobre ônix, da Babel das Artes

24 de junho: São João Batista
Sincretismo: Xangô

Em seu calendário anual, a igreja celebra apenas dois nascimentos: o de Jesus e o de São João Batista. A festa acontece principalmente no Nordeste brasileiro e em alguns países da Europa, com destaque para Portugal.

São João Batista foi considerado santo antes mesmo de nascer. Era filho do sacerdote Zacarias e Isabel (ou Elizabete), prima de Maria. Ou seja, ele era primo de Jesus. João era pregador, tinha discípulos e incitava a mudança, por isso, foi considerado profeta e precursor do prometido Messias, Jesus Cristo.

É chamado de Batista por batizar os judeus no rio Jordão (incluindo Jesus). Ele introduziu o batismo nos rituais de conversão judaicos, que mais tarde foram adoptados pelo cristianismo.

Em 26 d.C São João foi preso, acusado de liderar uma revolução. Foi morto no mesmo período.

Simpatia – para atrair sorte, felicidade e dinheiro. Como a fogueira é acesa em homenagem a São João, ande com um pedaço de carvão da fogueira no bolso o ano inteiro. É só embrulhar num filme plástico pra não sujar a roupa, certo?

Anúncios

Cultura “bodística” é cantada em ópera na XII Festa do Bode Rei

Bode-Cabaceiras-Adino-Bandeira

Monumento ao bode na praça central em Cabaceiras, PB. Foto Adino Bandeira/Flickr.

A XII Festa do Bode Rei, em Cabaceiras, PB (a Roliúde Nordestina), terá uma ópera popular para cantar a “cultura bodística”. Ópera é um gênero artístico que consiste num drama encenado com música. O espetáculo “O Mundo Encantado do Bunderoso Bode” conta a história do casamento da Princesa Quasimoda com o Príncipe Otelo e mistura cultura medieval e folclore nordestino.

O espetáculo será encenado nas ruas centrais da cidade nos dias 4 e 5 de junho de 2010 durante a XII Festa do Bode Rei. O texto foi escrito por Wills Leal. A montagem do espetáculo é mais uma ação do projeto Ponto de Cultura Marcas Vivas de Cabaceiras, uma parceria entre o Ministério da Cultura, o Instituto do Patrimônio Histórico Nacional Iphan e a Prefeitura Municipal de Cabaceiras.

Foto: Adino Bandeira/Flickr

A fogueira, ícone das festas populares e dos rituais sagrados

No Brasil, a  fogueira junina está associada a São João Batista, para lembrar que foi assim que sua mãe Isabel anunciou a Maria seu nascimento. Interessante é que a fogueira de São João também costuma ser acesa em vários outros países, inclusive em países não-católicos porque, muito antes do nascimento da igreja, os pagãos já honravam as divindades com fogo em rituais agrários. Assim uma enorme fogueira era acesa na Festa do Sol (relativo ao solstício de verão, o dia mais longo do ano entre 21 ou 22 de junho), principalmente em agradecimento às colheitas.

Fogueira de São João são  populares na Finlândia, onde parte da população passa o dia de São João ("Juhannus") no campo ao redor das cidades em festejos. Foto: Wikipedia.

Fogueira de São João são populares na Finlândia, onde parte da população passa o dia de São João ("Juhannus") no campo ao redor das cidades em festejos. Foto: Wikipedia.

Apesar de ser um ritual pagão, a festa era muito tradicional o que impossibilitou a sua condenação através das leis da Igreja. Dessa maneira, criou-se a Festa de São João, em 24 de junho (data próxima do solstício de verão), para adaptar ao calendário oficial cristão. Desde então, durante o solstício do verão se comemora a festa de São João (ou Festa do Sol) no hemisfério norte, enquanto no Brasil comemoramos o São João — até porque aqui é época de inverno.

Na Europa, os festejos de solstício de verão foram adaptados à cultura local, de modo que em Portugal foi incluída a Festa de Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua, em 13 de junho. Mais tarde, também foi incluído as festas de São Pedro e São Paulo, comemorados em 29 de junho, completando o ciclo de eventos festivos da Igreja.

A comemoração das festas juninas é certamente herança portuguesa no Brasil, acrescida ainda dos costumes franceses que a elas se mesclaram na Europa. Quando os jesuítas chegaram ao Brasil, difundiram várias festas religiosas, em especial as festas juninas – comemoradas com fogueiras, rezas e muita alegria -, que coincidiam com o período em que os índios realizavam seus rituais de fertilidade.

fogueira-campina-grande

Atualmente, as fogueiras são reprimidas em vários lugares e tem sido criticada por ambientalistas. Na festa de Campina Grande, a fogueira de quase 20 metros de altura é cenográfica, para evitar impactos ambientais e prejudicar a visibilidade de pilotos de aeronaves, já que esta época atrai muitos turistas.

Fontes: Universia, Biblioteca Virtual SP

Festa Junina em Campina Grande: o Maior São João do Mundo já começou

campina-grandeO Maior São João do Mundo, no Parque do Povo, em Campina Grande/PB começou oficialmente ontem (29). O evento já integra o calendário oficial de eventos da Embratur, por tratar-se de uma das festas populares mais importantes do país.
Este ano serão 31 dias de festa e cerca de 1,5 milhão de pessoas que terão como atração shows musicais, apresentações de quadrilhas e grupos folclóricos. Um benefício levado aos forrozeiros foi a ampliação do espaço existente na parte inferior do Parque do Povo. Isso foi possível pelo recuo na área do palco do Arraial Hilton Motta, que proporcionou o aumentou na área do público e melhor disponibização das 163 barracas e 92 quiosques instalados no local.

Prepare-se para a maratona: na programação estão previstas apresentações de Zé Ramalho, Domiguinhos, Elba Ramalho, Santana, Amazan e Flávio José. E ainda artistas que tocam o forró mais tradicional, o xote e xaxado, como Pinto do Acordeon, Antônio Barros e Cecéu, Três do Nordeste, Waldonys, Sirano e Sirino, Zé Calixto e Fuba de Taperoá. Haverá ainda shows de Eliane, Geraldinho Lins, Tom Oliveira e Jorge & Mateus.
Também se apresentará no Parque do Povo as bandas Calcinha Preta e Magníficos (da cidade paraibana de Monteiro), Cheiro de Menina, Mexe Ville, Forró do Bom, Mastruz com Leite, Brasas do Forró, Garota Safada, Balancear, Arreio de Ouro, Caviar com Rapadura, Forró dos Plays, Louro Santos e Victor Santos, Forró Sacode, Kedna e Fogo de Menina, Ferro na Boneca, Solteirões do Forró e Forró do Muído.

fonte: quase réplica do release da Secom de CG

Enfim, Embratur e Unesco atestam o São João de Campina Grande/PB

Embratur e a Unesco anunciaram no último dia 5 que o Maior São João do Mundo trata-se de “manifestação autêntica da diversidade cultural brasileira”. A declaração foi feita após análise da pesquisa realizada com turistas em Campina Grande, durante a realização da edição 2008 (!).

A pesquisa realizada pelos dois órgãos apontou que “o turista cultural que visita o país é exigente, busca originalidade, autenticidade e gosta de interagir diretamente com as manifestações populares”. Os dados indicaram também que os turistas que estiveram em Campina Grande aprovaram a acessibilidade, a segurança e os espaços de lazer dos atrativos visitados.

Os festejos juninos foram considerados “manifestações autênticas e uma representação da diversidade cultural do Brasil”. Outros pontos observados foram a musicalidade, as danças, a hospitalidade, a gastronomia e o artesanato.