Arquivo da tag: manifestação popular

Lavagem da Igreja do Bonfim, Olinda, PE

Todo segundo domingo de janeiro tem lavagem a lavagem da Igreja do Bonfim, em Olinda, PE. Para o Candomblé o ritual comemora e celebra um ano novo de paz. Este ano, quatro mulheres lavaram escadaria da igreja e, em seguida, uma água perfumada com alfazema e trazida em procissão foi jogada sobre as pessoas. Esta parte é o que atrai uma multidão de gente, já que a água serve para abençoar as pessoas. Até por isso o nome do evento é “toque das águas de Oxalá”.

Fotos garimpadas no Flickr

Anúncios

Agora tem o Dia Nacional do Bumba Meu Boi

A partir de quarta-feira (02/11) passa a vigorar a lei que institui o Dia Nacional do Bumba Meu Boi, a ser comemorado em 30 de junho. A publicação saiu no Diário Oficial da União.

Foto de Tony Galvez - Flickr

Segundo a revista Globo Rural, o folguedo sintetiza a história do brasileiro na época do Ciclo de Gado no século 18. A festa enfoca as relações sociais entre escravos, índios e senhores da casa grande.

O Bumba Meu Boi é representado de acordo com as peculiaridades de cada lugar, mas sem desrespeitar a lenda que o originou, que consiste na ressuscitação de um boi que não deveria ter morrido.

Ao espalhar-se pelo país, o bumba-meu-boi adquire nomes, ritmos, formas de apresentação, indumentárias, personagens, instrumentos, adereços e temas diferentes. Dessa forma, enquanto no Maranhão, Rio Grande do Norte, Alagoas e Piauí é chamado bumba-meu-boi, no Pará e Amazonas é boi-bumbá ou pavulagem; em Pernambuco é boi-calemba ou bumbá; no Ceará é boi-de-reis, boi-surubim e boi-zumbi; na Bahia é boi-janeiro, boi-estrela-do-mar, dromedário e mulinha-de-ouro; no Paraná, em Santa Catarina, é boi-de-mourão ou boi-de-mamão; em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Cabo Frio e Macaé(em Macaé a o famoso boi do Sadi) é bumba ou folguedo-do-boi; no Espírito Santo é boi-de-reis; no Rio Grande do Sul é bumba, boizinho, ou boi-mamão; em São Paulo é boi-de-jacá e dança-do-boi. (wikipedia) foto de Tony Galvez

Grafiteiros exigem reconhecimento e proteção legal

Em evento, grafiteiros chamam a atenção para o projeto de lei que regulamenta o grafite, em tramitação no Congresso Nacional Foto: Renato Araújo/ABr

Grafiteiros do Distrito Federal e de outras regiões do país estão reunidos em Ceilândia (DF) para participar do projeto 100 Muros Mil Cores, um evento que faz parte do 1º Encontro Brasileiro de Grafiteiros. 

Os grafiteiros querem, além de diferenciar a sua arte das simples pichações, o reconhecimento e o apoio ao Projeto de Lei 138/2008, que faz a distinção entre as duas formas de manifestação gráfica. Ele regulamenta, entre outras coisas, o grafite como uma manifestação artística que promove a inclusão social e prevê pena de prisão para o pichador. Com a regulamentação, o grafite pode ser exposto em qualquer lugar desde que autorizado pelo proprietário do imóvel que vai receber o grafite.

 “Grafite é uma arte e seu autor um artista, que passará a ter chance de ter até uma remuneração. A pichação é uma agressão ao patrimônio, uma agressão ambiental e como tal punível com crime que pode levar até um ano de prisão”, disse o deputado Geraldo Magela, autor do projeto.

Fonte: Agência Brasil

VII Encontro Nordestino de Xaxado

festival-xaxadoNos dias 5, 6 e 7 de Junho, acontece o VII Encontro Nordestino de Xaxado em Serra Talhada, PE.

Xaxado é uma dança popular criada no Agreste Pernambucano e Sertão pernambucano, muito praticada pelos cangaceiros da região, em comemoração as suas vitórias. O nome é devido ao barulho das sandália dos cangaceiros contra a areia do sertão.

O festival busca fortalecer a identidade cultural e manter viva a história do homem sertanejo. Os grupos de xaxado fazem da dança e da cultura suas armas em defesa da cidadania e da preservação histórica e cultural da região.

O festival será realizado na Fundação Cultural Cabras de Lampião/Ponto de Cultura Artes do Cangaço e deve reunir “cangaceiros” dos mais distantes rincões do Nordeste. Solicite programação completa em http://cabrasdelampiao.zip.net/

Enfim, Embratur e Unesco atestam o São João de Campina Grande/PB

Embratur e a Unesco anunciaram no último dia 5 que o Maior São João do Mundo trata-se de “manifestação autêntica da diversidade cultural brasileira”. A declaração foi feita após análise da pesquisa realizada com turistas em Campina Grande, durante a realização da edição 2008 (!).

A pesquisa realizada pelos dois órgãos apontou que “o turista cultural que visita o país é exigente, busca originalidade, autenticidade e gosta de interagir diretamente com as manifestações populares”. Os dados indicaram também que os turistas que estiveram em Campina Grande aprovaram a acessibilidade, a segurança e os espaços de lazer dos atrativos visitados.

Os festejos juninos foram considerados “manifestações autênticas e uma representação da diversidade cultural do Brasil”. Outros pontos observados foram a musicalidade, as danças, a hospitalidade, a gastronomia e o artesanato.