Arquivo da tag: street art

Dia do Grafitti em SP: homenagem a Ozi e exposição Lambe-Lambe

Para comemorar o Dia do Grafitti, em 27 de março, a Ação Educativa — organização que incentiva os direitos educativos da juventude — promove intervenção urbana no centro de São Paulo em homenagem a Ozeas Duarte (Ozi), um dos expoentes da linguagem e pioneiros do graffiti em São Paulo.

A data busca legitimar o grafitti como arte, como cultura. As comemorações ao Dia do Grafitti faz parte do calendário oficial da cidade de São Paulo. A data é referência para grafiteiros, ativistas do movimento e admiradores dessa arte. Vale lembrar que Alex Vallauri morreu no dia 27 de março de 1987.

Dica de Ozi para quem vai começar a grafitar:

“É começar, ter coragem e ir para rua. Mas antes pensa bem no que vai fazer, para não ser mais um sujando a cidade. Usar a inteligência é imprescíndivel e o graffiti é uma arma do bem, tem que usar com precisão, senão o tiro sai pela culatra.” (em entrevista ao street.com)

Porco fashion Luis Vitão (referência à marca Luis Vuitton) by OZI

Da série Glamour for All (referência à marca Luis Vuitton) by OZI

Se você não sabe manja nada de arte urbana ou grafitti não se desespere: saiba o que é lambe-lambe, sticker, bite e outros termos no “dicionário” do Grafitti neste link.

Uma pena que a 1ª Batalha Nacional de Graffiti “KING OF BRASIL”, que aconteceria de 25 a 28 de março em São Paulo foi adiada.

Serviço: dias 26 e 27 de março de 2010
Dia 26 às 19h: abertura da exposição e inauguração do Ponto de Cultura Periferia no Centro
Dia 27 a partir das 10h: Intervenção nas ruas da Vila Buarque
Local: Sede da Ação Educativa. Rua General Jardim, 660. Vila Buarque.

Tem também exposição LAMBE-LAMBE do Coletivo Água Branca
De 29 de março a 27 de ABRIL de 2010
Quiosque 8, Parque da Água Branca
Av. Francisco Matarazzo, 455, São Paulo
Diariamente das 6:00h às 17:50h

Anúncios

CowParade – Circuito das Vacas – traz de novo a arte para as ruas

Hoje, cerca de 90 vacas começam a pastar na metrópole. Uma delas é de Henrique Carvalho Pereira, de 21 anos, em coma desde 21 de dezembro, quando foi atacado por um louco dentro de uma livraria.

Nesta edição do CowParade, os nomes e os temas que personalizam as vacas são mais críticos, mas há também homenagem à cidade que completa 456 anos no próximo dia 25.  Cowgestionamento, Vaca Tattoo, Do Pasto à Passarela identificam de problemas cotidianos a  tribos que ocupam a quatrocentona megacidade.

Aqui na Paraíba, a gente teve o BodeParade, um pouco mais tímido, mas bem interessante. Você viu?

Veja outras vacas do CowParade 2010 no Flickr. As fotos são de Alexandre Ferreira

Grafiteiros exigem reconhecimento e proteção legal

Em evento, grafiteiros chamam a atenção para o projeto de lei que regulamenta o grafite, em tramitação no Congresso Nacional Foto: Renato Araújo/ABr

Grafiteiros do Distrito Federal e de outras regiões do país estão reunidos em Ceilândia (DF) para participar do projeto 100 Muros Mil Cores, um evento que faz parte do 1º Encontro Brasileiro de Grafiteiros. 

Os grafiteiros querem, além de diferenciar a sua arte das simples pichações, o reconhecimento e o apoio ao Projeto de Lei 138/2008, que faz a distinção entre as duas formas de manifestação gráfica. Ele regulamenta, entre outras coisas, o grafite como uma manifestação artística que promove a inclusão social e prevê pena de prisão para o pichador. Com a regulamentação, o grafite pode ser exposto em qualquer lugar desde que autorizado pelo proprietário do imóvel que vai receber o grafite.

 “Grafite é uma arte e seu autor um artista, que passará a ter chance de ter até uma remuneração. A pichação é uma agressão ao patrimônio, uma agressão ambiental e como tal punível com crime que pode levar até um ano de prisão”, disse o deputado Geraldo Magela, autor do projeto.

Fonte: Agência Brasil

Arte da periferia ganha visibilidade em João Pessoa/PB

MAP-arte-periferica-joao-pessoaA fim de mostrar a arte que a comunidades do Porto do Capim, São Rafel, Timbó e Citex produz, a partir de 21 de outubro tem início a I Mostra da Arte Periférica (MAP), na Estação Cabo Branco. A exposição coletiva reúne o resultado de oficinas na periferia, com grafite, fotografia, literatura, cinema, artes plásticas, música, multimeios e comunicação digital.

A mostra, com curadoria de Gigabrow, permanece aberta a visitação do público até o dia 29 de novembro das 10h às 18h até na Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Arte no bairro do Altiplano. Entrada gratuita.

Artistas | Jailson, Minelo, Lêgo, Mumia, Rotty, Cassiano, Dykwan, Darcy Lima, Mc Léo Thomas, Beto Souza, Alcelines Poffty, Joálisson Cunha, Gilvan Gonçalves, Johnny Labaredas

Vernissage dia 21 de outubro às 16h30.


Artes Visuais – A rua como lugar de convívio

intervencao-urbana-funarte-da-rua-BHA Funarte inaugura, no dia 15 de outubro, em seu espaço cultural de Belo Horizonte, a quarta exposição da série Da Rua. A mostra “A rua como lugar de convívio” promove um encontro entre o coletivo mineiro Poro, o gaúcho Daniel Escobar e o paulista Shima.

A exposição, com curadoria de Janaina Melo, propõe uma reflexão sobre a efemeridade dos materiais e imagens presentes nas cidades e sobre a forma como esses elementos interferem na paisagem urbana e nos processos de comunicação. Escobar, Shima e o grupo Poro deslocam a percepção do público com suas intervenções, sobreposições e ocupações, que alteram a forma e a qualidade dos materiais utilizados. A partir das possibilidades de participação do espectador, outras camadas de significação são acumuladas.

Com a série de mostras Da Rua, a Funarte pretende contribuir para o debate sobre a institucionalização da pintura de rua e da intervenção urbana – linguagens que, nos últimos anos, saltaram dos muros das cidades para galerias, museus e centros culturais.

Leia mais no site da Funarte