Três novos Patrimônios Vivos de Pernambuco

O Conselho Estadual de Cultura de Pernambuco escolheu três novos Patrimônios Vivos do Estado: o Caboclinho Sete Flexas de Água Fria, o Teatro Experimental de Arte de Caruaru (TEA) e Selma Ferreira da Silva, a Dona Selma do Coco. Os representantes da cultura popular foram selecionados entre 102 mestres e grupos que se inscreveram na Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe). Com a inclusão dos três novos escolhidos, são 18 patrimônios vivos instituídos no Estado.

A seleção é prevista pela Lei do Patrimônio Vivo de Pernambuco e garante aos selecionados uma remuneração mensal de R$ 750 (no caso de pessoas físicas) e de R$ 1,5 mil (no caso de grupos). Em contrapartida, os artistas se comprometem a participar de atividades educativas para transmitir os valores da cultura popular.

TEATRO EXPERIMENTAL DE ARTE DE CARUARU (TEA) – Fundado em 1962, inicialmente como um grupo de estudo, já encenou mais de 50 espetáculos, tais como o clássico Antígona, de Sófocles, e textos experimentais, a exemplo de Feira de Caruaru, que marcou a estréia do caruaruense Vital Santos como dramaturgo.

selmadococoDONA SELMA DO COCO – Um dos expoentes do coco de roda, Dona Selma descobriu os dotes artísticos na Cidade Alta de Olinda, num tabuleiro de tapioca. A música foi, na época, uma forma de atrair a clientela e chamar a atenção dos turistas enquanto vendia comes e bebes na frente de casa. Viveu do comércio até 1994, em 1995 gravou o primeiro disco. Em 1996, a música A rolinha foi sucesso durante o carnaval do Recife e Olinda. Em 1997 Dona Selma e seu grupo fizeram uma turnê Alemanha, onde gravou mais um disco. No ano seguinte ficaria conhecida nacionalmente ao participar do Abril pro Rock. Em 1999 seria uma das vencedoras do Prêmio Sharp, na época o mais importante da música brasileira. Em 2001 participou do festival de Nova Orleans.

Clique aqui e ouça música de Caboclinho 7 Flexas

caboclinho-7-flexasCABOCLINHO SETE FLEXAS – Fundado em 1969 pelo mestre Zé Alfaiate e atualmente comandado por seu filho, Paulinho, o Caboclinho Sete Flexas, com sede no bairro de Água Fria, na Zona Norte do Recife, incorpora as tradições dos caboclinhos mais antigos, sobretudo os fundamentos religiosos. O grupo também é referência na comunidade de Água Fria pelas atividades sociais e o poder agregador que exerce sobre os mais jovens.

Confira os 18 Patrimônios Vivos de Pernambuco:
Camarão (sanfoneiro)
Clube de Alegorias e Crítica Homem da Meia Noite (clube carnavalesco)
Confraria do Rosário de Floresta do Navio (irmandade religiosa)
Dila (cordelista e xilógrafo)
Fernando Spencer (cineasta)
Índia Morena (artista circense)
J. Borges (cordelista e xilógrafo)
José Costa Leite (xilógrafo)
Lia de Itamaracá (cirandeira)
Manuel Eudócio (artesão)
Maracatu Carnavalesco Misto Leão Coroado (maracatu)
Nuca (artesão ceramista)
Sociedade Musical Curica (banda de música)
Zé do Carmo (artesão ceramista)
Zezinho de Tracunhaém (artesão)
Caboclinho Sete Flexas de Água Fria
Teatro Experimental de Arte de Caruaru (TEA)
Selma Ferreira da Silva, ou Dona Selma do Coco

Fonte: JC OnLine

diHITT – Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s